pranayama

Pranayama no Yoga – Benefícios da Respiração e a Energia

A palavra prana significa a energia que percorre todo o corpo vivo, diferenciando-o de um corpo morto. Ou seja, trata-se da respiração que simboliza a vitalidade física.

O pranayama é um conjunto de exercícios que tem por objetivo o controle da respiração, possibilitando maior serenidade mental e aumento da saúde física e emocional.

Energia e Respiração

As técnicas para controle desta potente energia vital que é a respiração, são fundamentais durante as sessões de Yoga, consistindo nas bases desta prática.

A respiração adequada potencializa o efeito dos asanas, favorecendo a concentração e meditação.

De acordo com os adeptos da Yoga, o melhor momento do dia para praticar o pranayama é nas primeiras horas da manhã, logo após o alvorecer. Neste período do dia a luz solar favorece uma alta concentração de prana.

Pratica de pranayamas

As práticas de pranayamas devem ser diárias e com duração exata de 15 minutos (nunca mais nem menos).

O praticante deverá sentar-se em um pequeno tapete, colchonete ou peça de espuma vinílica acetinada, buscando manter as costas sempre eretas.

O olhar deve estar fixo em um ponto, mantendo a mente concentrada e evitando possíveis distrações do ambiente.

pranayama-respiracao-beneficios

A regularidade e uniformidade da respiração proporcionará a condição ideal para que a mente entre em um estado de profunda serenidade.

Finalizados os exercícios de pranayama, o praticante deverá ficar na posição de shavasana de 5 a 10 minutos.

Ou seja, manter-se imóvel ao deitar-se e entregar o peso do corpo em absoluto relaxamento. Esta finalização é muito importante, pois auxilia no revigoramento das energias.

 

O pranayama e os ensinamentos da Yoga

Sem dúvida alguma, o maior objetivo dos praticantes da Yoga é chegar ao equilíbrio físico e mental, proporcionado pela aplicação de técnicas específicas.

Muitos podem se perguntar: Por que a respiração é tão fundamental na Yoga?

A razão é muito simples. Na respiração, existem dois movimentos: A inspiração e a expiração. De acordo com os mestres orientais, a inspiração é responsável por estabelecer a conexão com o mundo externo e a expiração nos ensina o desapego, o deixar fluir.

Esses dois movimentos são chamados de pravritti marga (criação) e nivritti marga (renúncia). Assim, a inspiração refere-se à criação e a expiração consiste na renúncia. Para os adeptos da Yoga, encontrar a harmonia entre estes dois caminhos é fundamental para estabelecer o equilíbrio do Ser.

Em seu livro “A árvore do Yoga”, Iyengar, um dos maiores mestres desta prática, compara toda esta filosofia oriental com uma árvore e sua composição de raízes, tronco, casca, galhos folhas e frutos.

De acordo com o autor, o pranayama corresponde às folhas desta árvore, sendo indispensáveis para chegar ao fruto.

Nas palavras dele:

“como as folhas que arejam a árvore fornecem nutrientes para que seu crescimento seja saudável, o pranayama atua alimentando e arejando as células, os nervos, os órgãos, a inteligência e a consciência humana.”

Logo, de acordo com o Mestre, o pranayama trata-se da ciência da respiração, conduzindo à criação, distribuição e manutenção da energia vital.

Pranayama: O movimento da vida

A respiração é algo tão sutil que passa facilmente despercebida por nós. No entanto, é justamente o grande movimento da vida. Respirar de forma consciente, detendo-se nas partes dos músculos responsáveis por este movimento, é imprescindível para a condução do prana (energia vital).

Por esta razão, cada exercício de pranayama proposto durante a prática de Yoga tem uma finalidade específica, contribuindo para a manutenção da saúde do corpo e da mente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *